Bancos têm linhas de crédito para empresas, mas MPEs estão reticentes

Indicador de demanda por crédito tem permanecido em baixo patamar e dá sinais de que a recuperação ainda não atingiu um bom ritmo.

0
260
O investimento ainda se encontra em patamares baixos, representando algo em torno de 15% do PIB
Adicionalmente, os clientes Pessoas Físicas de remessas de câmbio também serão beneficiados com a nova tecnologia Swift GPI

O ano de 2019 tem trazido desafios para Micro e Pequenas Empresas (MPEs). Isso porque a lenta saída do país da crise econômica gerou reflexos sobre a capacidade das mesmas em conseguir acesso a linhas de crédito para seus negócios. Entre os que pretendem fazer empréstimos, a média do valor a ser contratado é de quase R$ 30 mil. O MundoEmpresa fez um levantamento com opções disponíveis para empresários.

De acordo com as informações levantadas pelo Indicador de Demanda por Crédito e Investimento, calculado pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), 70% descartam a possibilidade de contratar crédito ainda este ano.

 “Mesmo com a expectativa de melhora das condições econômicas do país, a demanda por crédito continua longe de alcançar o nível ideal para induzir o crescimento”, avalia o presidente da CNDL, José Cesar da Costa.

Acesso difícil a linha de crédito

Por exemplo, a dificuldade de ter acesso ao crédito é considerada uma barreira para parte dos empresários.

Mais ainda, para os 34% dos entrevistados, a contratação de empréstimos e financiamentos foi considerada difícil, ante 27% que acharam o processo fácil. Além desses, 20% afirmam não ser fácil ou difícil, enquanto 19% não souberam dizer por nunca terem contratado crédito.

Entre os que consideram a tomada de crédito difícil, a maioria, 57% citou como razão o excesso de burocracia e exigências que os bancos fazem. Já 45% apontaram os juros elevados.

Opções disponíveis nos bancos

O MundoEmpresa fez um apanhado com alguns bancos que dispõe do tipo de crédito indicado para quem optou por abrir uma MPE. Ainda assim, nem todos os bancos responderam a nossa solicitação de informações via telefone e email.

Fique atento para as oportunidades de linhas de crédito para empresas. Seguem algumas opções abaixo:

Sicredi

O Sicredi oferece diversas linhas de crédito para associados pessoas jurídicas. As vantagens variam de acordo com cada linha de crédito oferecida.

Alguns dos serviços incluem o Capital de Giro, que garante recursos financeiros para cobrir os débitos de fluxo de caixa do negócio. Com ele é possível financiar o ciclo operacional da empresa e cobrir despesas como compra de matéria-prima e mercadorias, assim como pagamento de tributos, encargos, fornecedores e salários.

MPE

O Banco também possui cheque empresarial, crédito rotativo/ conta garantida e Desconto Eletrônico. Além disso, existe o Microcrédito para uso exclusivo do Microempreendedor, para associado garantir os recursos necessários para a geração de emprego e renda, além de poder cobrir as demandas produtivas da empresa.

A opção BNDES Pequenas Empresas – Sicredi é destinada para a concessão de empréstimo visando a manutenção e/ou geração de empregos.

Aliás, a taxa de juros varia de acordo com cada região e cooperativa que faz parte do Sicredi, sendo que, em geral, são mais atrativas que as praticadas pelo mercado de crédito tradicional.

ITAÚ Unibanco

Para as empresas que necessitam de crédito no curto prazo para honrar compromissos, o Itaú Unibanco oferece o Capital de Giro – empréstimo parcelado para organizar o fluxo de caixa.

Entre as vantagens do produto, estão a possibilidade de pagamento em até 60 meses, com parcelas fixas, e até 90 dias para pagar a primeira parcela.

São aceitos como garantia recebíveis de cartões, imóveis, duplicatas e aplicações financeiras, entre outras opções.

A contratação pode ser realizada na agência, nos caixas eletrônicos ou pelo Itaú Empresas via internet ou celular.

Capital de Giro – Taxas a partir de 0,89% a.m. com pagamento em até 60 meses, parcelas fixas e até 90 dias para pagar a primeira parcela.

CAIXA

Para atendimento às demandas por Capital de Giro, destinado à compra de insumos, embalagens, matérias primas, mercadorias para revenda, pagamento das despesas correntes, despesas administrativas, salários e encargos trabalhistas, a Caixa oferta linhas que contam com taxas de juros prefixadas e prazo de pagamento que pode chegar até a 60 meses, a depender da linha de crédito, do faturamento anual da empresa e as garantias ofertadas, com taxas a partir de 0,99% a.m.

Para atendimento às demandas de capital de giro, sem destinação específica, a Caixa dispõe de linhas com prazos, carência, taxas de juros e garantias customizáveis, de acordo com a necessidade individual de cada empresa, segundo informações do banco.

Caso a empresa precise de uma linha de crédito de acesso rápido para ajustar seu fluxo de caixa, ela pode contar ainda com a conta garantida, que disponibiliza um limite que pode ser utilizado a qualquer momento.

Também há soluções de Investimento, para ampliação da capacidade produtiva, compra de máquinas, equipamentos ou veículos, em que a Caixa oferece linhas de crédito específicas para estas finalidades, com taxas de juros a partir de 1,20% a.m. e prazos de carência e de pagamento que variam de acordo com a linha de crédito.

Produtos de captação

O banco possui, ainda, diversas opções de produtos de captação, seguridade e serviços, como soluções de folha de pagamento, cobrança bancária, domicilio de cartões de crédito e débito, aplicações financeiras, dentre outros.

São também ofertadas às MPE, também, linhas com limites para cartões de crédito e cheque especial.

As médias empresas que desejam financiar a compra de máquinas, equipamentos, projetos, obras civis, aquisição de imóveis, dentre outros, encontram linhas de investimento com prazo para pagamento de até 120 meses.

A instituição também oferece soluções para as empresas exportadoras, como ACC e outras linhas de financiamento à exportação, em que é possível financiar 100% dos bens a serem exportados.

Santander

Segundo o banco Santander, a instituição possui algumas linhas de crédito, e, inclusive, para quem é possuidor de franquias.

  • Para capital de giro: ‘Recompensa e Bonificado’ são produtos que reconhecem quem paga as parcelas do crédito pontualmente. O cliente pode ser isento de até 4 parcelas no final do contrato. Empréstimo parcelado com taxa pré-fixada sem destinação especifica.
  • Capital de Giro: Empréstimo com taxa pré-fixada ou pós-fixada, sem destinação especifica. Pode ser utilizado para necessidades de curto, médio e longo prazo. Contratação em três modalidades: fluxo parcelado, fluxo irregular (fluxo do cliente) e fluxo final (uma única parcela). Pode ser utilizado para renovação do estoque, infraestrutura, pagamento de 13º salário, despesas, impostos, compra de máquinas.
  • Crédito Direto ao Consumidor (CDC) é uma operação de financiamento de médio e longo prazo com taxas de juros pré-fixadas, para aquisição de veículos leves e pesados, máquinas, equipamentos, aeronaves e embarcações, novos ou usados. É possível negociar o valor do bem à vista com o vendedor.
  • Leasing: Operação de longo prazo, com taxas de juros pré e pós fixadas em CDI que permite ao cliente utilizar bens como veículos, máquinas, equipamentos e aeronaves em suas atividades por um período e condições pré-definidos. Ao final, pode optar pela compra do bem, por um valor previamente estabelecido. Para as empresas optantes do Lucro Real, as contraprestações podem ser dedutíveis para fins fiscais.

Linha de crédito para franquias

  • BNDES Finame é a linha de financiamento para produção e aquisição de máquinas e equipamentos nacionais credenciados pelo BNDES com percentual financiável de até 100% e sem incidência de IOF. Taxa a partir de 5% a.a + TLP.
  • BNDES Automático (Projetos) é a linha destinada a financiar investimentos para implantação, ampliação, recuperação e modernização de ativos fixos, bem como projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, nos setores de indústria, infraestrutura, comércio e serviços. Taxa a partir de 5,60% a.a + TLP.
  • O ‘Giro Franquias com Garantia Complementar’ do FAMPE (Fundo de Aval para Micro e Pequena Empresa). A Linha de crédito criada em parceria com o SEBRAE com taxa pré-fixada e destinada exclusivamente ao segmento de franquias para a abertura de nova unidade, troca de layout, reforma, ampliação, troca de equipamento e modernização e capital de giro.

O ‘Giro Franquias Demais Garantias’ possui taxa pré-fixada e destinada exclusivamente ao segmento de franquias para a abertura de nova unidade, troca de layout, reforma, ampliação, troca de equipamento e modernização e capital de giro.

Ou seja, onde o franqueado pode agregar garantias como: Imóvel, veículo, investimentos, recebíveis de cartões, visando a redução do custo da operação financeira. Taxa a partir de 1,30% a.m.

Sendo assim, o Santander entre os bancos privados, é um dos bancos com maior desembolso aos franqueados, nesta modalidade. Taxa fica a partir de 1,69% a.m.

BNDES divulga relatório

De acordo com o Relatório de Efetividade, apresentado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), 45% das entregas de projetos aprovados em 2018 foram para micro, pequenas e médias empresas (MPMEx) e 55% para projetos de grandes empresas.

Esse reposicionamento do banco passa principalmente pela digitalização dos produtos. “Atualmente está mais ágil a concessão de crédito para a micro e pequena empresas”, disse o chefe do Departamento de Inteligência de Negócios e Efetividade da Área de Planejamento do BNDES, Victor Pina.

Segundo o relatório, no biênio 2017/18, o banco conseguiu estabilizar a sua taxa de investimento em torno de R$ 70 bilhões, o que significa um desembolso em torno de 1% do Produto Interno Bruto (PIB): 1,08% em 2017 e 1,02%, em 2018.

A infraestrutura foi o segmento com maior investimento (38%, em 2017, e 44%, em 2018).

A indústria recebeu 21% dos investimentos em 2017, mas perdeu 3 pontos percentuais no ano seguinte, ficando com 18%. A agropecuária viu crescer levemente os investimentos de 20%, em 2017, para 21%, em 2018.

Economia lenta atrapalha bancos

O Indicador de Demanda por Crédito do Micro e Pequeno Empresário registrou 24,5 pontos em outubro, acima do observado no mesmo mês do ano anterior, quando foi registrado 21,4 pontos.

Logo em setembro, o indicador atingiu a marca de 22,9 pontos. Contudo, o número varia de zero a 100, sendo que quanto mais próximo a 100, maior é demanda do empresário por crédito nos próximos três meses.

Finalidade do crédito

Portanto, os que pretendem contratar crédito, 47% irão recorrer a empréstimos, 25% a financiamentos e 12% ao cartão de crédito empresarial.

Segundo a pesquisa, as principais finalidades para tomada do crédito serão: compra de equipamentos e maquinários (31%), capital de giro (28%), ampliação do negócio (25%), aumento do estoque (23%) e reforma para melhorias da empresa (8%).

Por fim, levando em conta a minoria de empresários que tomarão recursos emprestados, a média é de R$ 29.482,14 a serem contratados.