Ramo de atividade – dicas para definir antes de abrir sua empresa

1
145
Abertura de empresas (Foto: Leandro Tapajós/ME)

Antes de empreender, você precisa pesquisar e escolher bem o mercado no qual atuará. Por isso, para chegar a essa escolha, você precisa saber o seu ramo de atividade. Ou seja, a especificação do que faz gerar lucro para a sua empresa. Embora pareça simples, é algo que exige atenção do novo empresário que pretende abrir empresa.

Quando há o desejo de empreender, muitas vezes, quem deseja ter seu próprio CNPJ acaba pensando em várias possibilidades. Conhecer mais sobre as características dos diferentes tipos de ramos de atividades e informações sobre gestão empresarial podem ajudar na escolha.

O que é ramo de atividade?

Antes de irmos para as dicas para ajudar a você definir seu ramo de atividade, primeiro você precisa entendê-lo.

Ramo de atividade nada mais é do que um tipo de especificação do que sua empresa faz.  Esses ramos estão dentro da indústria, comércio e prestação de serviços. 

O ramo de atividade, para ficar mais claro, ajuda você a definir em que área a sua empresa será enquadrada. 

No comércio, por exemplo, deve atender o consumidor final com a venda de produtos. Podemos citar como exemplos: lojas de vestuário, supermercados, lojas de brinquedos, lojas de móveis. Em resumo, aquelas que proporcionam o produto final para o consumidor. 

Por outro lado, quando se trata da indústria, as empresas produzem os produtos e os fornecem para outras empresas (do comércio). Nesse caso, o ramo de atividade vai ser definido pelo tipo de produto que será criado. Exemplo: Gráfica, fábrica de móveis, fábrica de utensílios e equipamentos etc.

Já na prestação de serviços, não é vendido nenhum produto. Neste caso é oferecido um serviço à população. Entre eles: transporte via táxis, exibição de filmes em cinema, cortes de cabelo em cabeleireiro, entre muitos outros. 

Dicas para escolher

Agora, conheça algumas dicas que podem ajudar a você definir o ramo de atividade da sua empresa.

1 – Afinidade com a área escolhida

Antes de mais nada, você precisa gostar – ou entender o mínimo – da área de seu novo negócio.  

Atenção! Lembre-se que empreender não é apenas investir em um negócio para buscar apenas o lucro. É preciso levar em consideração a satisfação que a atividade  trará para quem empreende. 

2 – Busque conhecimento

Tendo ou não afinidade com área escolhida para empreender,  é importante buscar conhecimento.  Em resumo, pode se tornar bem mais difícil administrar sem conhecer o que você pretende criar, vender ou oferecer ao público.

Uma opção é fazer cursos de capacitação e conversar com outros empreendedores mais experientes.

Conhecer sobre o produto ou serviço ajuda a buscar melhorias.

3 – Perceba o público-alvo

Definir o seu público-alvo é tão importante quanto gostar ou ter conhecimento do ramo de atividade. E para consegui-lo, você precisa identificar quem são seus potenciais clientes, onde estão, os hábitos de consumo deles.

A partir do momento que você entende o perfil de seus consumidores, você pode criar, vencer ou prestar serviço. 

Para ajudar a conhecer o seu público-alvo, você precisa definir o seu tipo de produto ou serviço, definir as personas (grupos de pessoas) que poderão ser clientes.

4 – Estude a concorrência

Se o seu empreendimento é algo que já existe no mercado, o estudo da concorrência é fundamental na hora de definir o ramo de atividade. Esta etapa não é apenas saber com quantas empresas você terá como concorrentes, mas também conhecer em detalhes.  Isso lhe ajudará a se diferenciar dos demais.

A pesquisa de mercado ajudará você a ter uma base de conhecimento e, assim, traçar as estratégias para conseguir destaque.  

5 –  Investimento

Se você já tem definido o ramo, é necessário saber o quando você precisa investir em determinada atividade. Primeiro faça as contas para saber se o seu capital é suficiente para se consolidar no negócio.

É preciso detalhar tudo: parte documental, estrutura física da empresa, móveis, estoque (se for vender produtos), entre outros. Seria ideal se você tivesse uma poupança para iniciar. Se não for o suficiente, pode recorrer a empréstimos. Neste caso, precisaria avaliar bem os riscos antes de contratar.

.

Saiba que muitos empreendedores, apesar de terem bons negócios, em boa localização e com bons clientes, também fracassam por terem pensado apenas no investimento inicial. Com isso, podem ficar sem capital de giro, por exemplo, para os custos operacionais.

Por isso, não ignore esses passos, nem mesmo aja por impulso.

Uma forma correta de começar qualquer tipo de empreendimento é fazer um plano de negócios bem detalhado.

Lembre-se também que todas as empresas podem – e devem – recorrer ao trabalho profissional de contadores desde a constituição do negócios.