Startups: Programa busca elevar ecossistema digital na região Norte

Startups com projetos do tipo ‘open innovation’ , que sugerem soluções para problemas empresariais são exemplo de negócios inovadores que podem receber aporte financeiro do PPEI

0
525
Segundo Marcela Cunha, as startups do AM possuem potencial, mas ainda funcionam no nível de operação, o primeiro de todos os estágios
A elevação deste ecossistema digital para a fase scale-up é importante para a economia local e negócios parceiros (Foto: Leandro Tapajós/ME)

Para alcançar autossuficiência financeira empresas de inovação tecnológica enfrentam desafios. No entanto, apesar do terreno fértil para inovação por meio de startups no Norte do Brasil, grande parte ainda funciona no nível de operação.

Marcela Cunha, coordenadora do Programa Prioritário de Empreendedorismo conversou com o MundoEmpresa sobre esta iniciativa e quais projetos podem receber aporte financeiro e elevar seu estágio.

O Projeto é fruto da atuação da Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) e Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Elevar nível das startups

O Programa faz parte do Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento, da Suframa que procura fortalecer o ecossistema digital da região.

“O que o PPEI se propõe é realizar um tipo de ‘curadoria’ desses projetos e escolher os que possuem potencial para ser aplicado no mundo de negócios”, disse Marcela Cunha.

Portanto, o programa procura incentivar projetos que busquem desenvolver sua estrutura de negócios além da pesquisa e operação e passem para a fase de Tração e posteriormente Scale-up.

Ou seja, capazes de crescer e sustentar este crescimento por um longo período de tempo de maneira escalonada.

Por exemplo, negócios que emitem nota fiscal, que geram emprego e riqueza e mantém o ritmo sem que hajam maiores percalços.

Startups desafiadoras e com propósito bem definido

Logo, a elevação do ecossistema digital é importante para a economia, negócios e parceiros. Além da inovação em pesquisa, os projetos devem fazer a diferença.

“O tema pode ser de cidade inteligente, produtos ou negócios mais específicos que torne a vida das pessoas em dificuldade mais fluida”

“O diferencial do PPEI é que nós trouxemos para o P&D os negócios. Então a ideia é que os projetos que passem pelo nosso programa se tornem negócios lucrativos”, disse Marcela.

Obrigação prevista em Lei

Para as empresas que recebem incentivos fiscais na área de tecnologia, ou seja, as beneficiadas pela Lei de Informática, o investimento em P&D é obrigação.

Todavia, este investimento tem como objetivo ajudar a desenvolver a área tecnológica do país por parte destas empresas.