Novo coronavírus X home office – Sua empresa está preparada?

0
221
A crise causada pela pandemia da Covid-19 antecipou uma tendência de trabalho remoto

O contínuo aumento de casos de covid-19, ocasionados pela transmissão do novo coronavírus, preocupa autoridades da área de saúde e gera impactos diretos na rotina de empresas em todo o mundo. Por isso, mudanças na forma de trabalhar já são vistas. Notadamente há um aumento do chamado home office para quem atua em escritórios, ou ainda pode prestar serviços de forma remota.

No caso das empresas, podemos citar que a ameaça do novo coronavírus pode fazer o faturamento despencar em locais onde há casos confirmados da doença. Podemos citar como exemplo: companhias aéreas que tiveram voos cancelados; agências que deixaram de vender pacotes turísticos; bares e restaurantes e que perderam movimento de clientes; fábricas que tiveram que reduzir a produção, etc.

Já no caso de negócios que podem ser geridos em escritórios, há a possibilidade de trabalho remoto. Ou seja, muitos empreendimentos e negócios podem permitir que os funcionários trabalhem sem sair de casa. Deste modo, o contato físico é evitado para reduzir os riscos de se contaminar com o novo coronavírus no Brasil. 

Para as indústrias, empresas do comércio e trabalhadores que precisam manter o contato com o público restam as precauções estabelecidas para prevenção e cuidado contra o novo coronavírus, entre elas: lavar as mães, cobrir o nariz ao espirrar ou tossir e usar álcool em gel.

Afinal, o que é home office? 

Em resumo, pode-se dizer que o termo (oriundo do inglês), significa ter um escritório em casa. Entretanto, além de manter um escritório no próprio ambiente familiar, dentro do lar, o trabalho home office pode ocorrer em um café, aeroporto, parque, coworking etc. O conceito é de trabalhar fora do ambiente limitante e tradicional de uma empresa. 

.

Entenda que, nesse contexto de trabalho, há a ideia de mais flexibilidade. Agora, para isso, é preciso ter capacidade técnica e ferramentas – como um computador e internet, por exemplo. 

No geral, empresas que adotam o home office (independentemente da situação extraordinária gerada pelo covid-19) possuem uma cultura organizacional mais, digamos, moderna. Ou seja, com maior foco na produtividade e menos na quantidade e delimitação de horas em que o funcionário está dentro do local de trabalho. 

Um ponto que deve ser considerado é a elaboração de metas, prazos e normas. Além de formas de controle que comprovem que o funcionários está trabalhando, mesmo em casa. Chats e grupos online podem ajudar neste sentido.

Em algumas empresas que já adotam o home office, há liberdade de horário de trabalho para o trabalhador. Nas que passarem a adotar a prática, talvez, isso não seja possível. Devendo-se estabelecer horários para produzir online.  

Adaptação do trabalhador

Estar em casa e poder trabalhar sem se preocupar com o trânsito, ou atrasos, é um ponto positivo do home office, mas o trabalho remoto também apresenta alguns pontos de alerta. A sensação de liberdade e possibilidades de distração (como um chamado dos filhos ou animal de estimação, por exemplo) precisam ser vencidas. 

Antes de produzir em casa o ideal é seguir algumas dicas, veja abaixo.

Dicas para quem vai fazer home office

  • Primeiramente, monte um espaço específico para seu home office (quando estiver nele, lembre-se, deverá produzir tal qual estivesse no escritório da empresa);
  • Invista nos recursos necessários (computadores, telefone, internet etc);
  • Tenha uma agenda (física ou virtual);
  • Estabeleça rotina e horários de trabalho;
  • Use ferramentas e tecnológicas e métodos para organização (Trello e Kanban, por exemplo);
  • Já no caso de passar a ser um prestador de serviços, utilize um sistema ERP online para emissão de notas, contabilidade e organização do negócio.

Números do home office no Brasil 

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua Anual: Características Adicionais do Mercado de Trabalho 2012-2018, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em dezembro de 2019, aponta alta no número de pessoas trabalhando em casa, nos últimos anos, no Brasil. 

.

Entre 2016 e 2017, o número de trabalhadores que faziam home office aumentou 16,2%. Já entre 2017 e 2018, a quantidade foi maior, chegando a 21,1%.

Coronavírus no Brasil

Segundo o Ministério da Saúde, até a terça-feira (10), o Brasil possui 34 casos confirmados de covid-19. 

Ao todo, seis por transmissão local e 28 casos importados. Além disso, também são monitorados 893 casos suspeitos.  

O que é o coronavírus

O novo coronavírus foi diagnosticado em 2019. Ele recebe o nome oficial de 2019-nCoV, mas também é conhecido como coronavírus de Wuhan, ou pneumonia de Wuhan. 

A origem e a cura da doença gerada pelo coronavírus ainda não foram encontradas. Também não há vacinas em uso.

O novo coronavírus é parecido com outros dois já identificados há alguns anos. Em um dos casos, ele já foi responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Grave e gerou a morte de mais de 700 pessoas no início da década dos anos 2000.

Quais sintomas do coronavírus? 

A presença do vírus causa infecção respiratória e gera sintomas de doenças respiratórias.

Entre os sintomas de pessoas infectadas estão:  febre, tosse e dificuldade de respirar.