Microempreendedores buscam franquias com baixo investimento

0
205
ESC são constituídas por pessoas físicas que oferecem crédito a pessoas jurídicas, mais especificamente, microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas
Em poucos dias, é possível iniciar a operação e realizar empréstimos a terceiros

O número de microempreendedores individual cresceu 23,6% no Brasil, desde o ano de 2019 com a aprovação da chamada Reforma Trabalhista. Na busca por melhores oportunidades, esses empreendedores buscam franquias que demandam um menor grau de investimento, as chamadas microfranquias.

A perspectiva econômica atual, puxada pela taxa básica de juros Selic, que tornou o crédito mais barato. Isso cria um ambiente favorável para o empreendedor buscar algo com retorno mais garantido e economicamente mais estável.

As microfranquias para microempreendedores

Primeiramente, o franchising cresce em tempos de reaquecimento econômico como o vivido no momento. No terceiro trimestre do ano passado, por exemplo, o setor teve aumento de 6,1%, movimentando mais de 47 bilhões de reais, segundo números divulgados pela ABF – Associação Brasileira do Franchising.

Sendo assim, dentro desse segmento de microfranquias existem opções para todos os bolsos, com investimentos de até 90 mil.

Logo, investir em um desses modelos enxutos é uma opção não apenas para os microempreendedores que sonham em abrir o próprio negócio, mas para aqueles que já possuem um comércio e desejam ampliar seu faturamento mensal.

A microfranquia Mr. Kids é um dos exemplos mais pertinentes da atualidade. O interessado pode começar com investimento de R$18.700 – já com o estoque inicial de brinquedos e itens colecionáveis.

Em troca de moedas de R$ 1 ou cédulas, a máquina entrega um dos itens ao consumidor, de forma eletrônica, sem a necessidade de um funcionário no local. Ou seja, no formato de vending machine.

De acordo com o gerente de expansão, Rodrigo Loredo, um dos grandes diferenciais da Mr. Kids é que rede não cobra royalties dos franqueados. “Isso é um diferencial, já que os microempreendedores não têm esse custo extra mensal, o que poderia atrapalhar principalmente no começo do negócio”, comentou.

Mais importante ainda, ele representa uma microfranquia de manutenção e valor acessível, os microempreendedores franqueados podem administrar o negócio da própria casa. Assim, eles vão comparecendo ao ponto de venda de uma a duas vezes por semana, para reabastecer e higienizar as máquinas.

Franchising de serviços

Para que prefere procurar algo na área de serviços, a escola de línguas The Kids Club. A Microfranquia oferece uma microfranquia na rede de cursos de inglês para crianças dos 18 meses até os 12 anos.

.

O modelo oferece dois tipos de negócios em formato home-based, um para cidades com até 50 mil habitantes e outro para aquelas com 100 mil habitantes ou mais. Eles oferecem aos microempreendedores franqueados um faturamento médio entre R$17 mil a R$25 mil e rentabilidade de 25% a 35%. O investimento inicial para investir na franquia é de R$ 23.500,00. 

Luxo acessível

Uma opção de menor investimento ainda, por exemplo, é o brechó Agora é Meu, criado pelas empresárias Siomara Leite e Danielle Kono, com investimento inicial de R$ 5.900,00 tem um modelo chamado Brechó Bag.

O negócio funciona como uma mala, dando autonomia para os microempreendedores trabalharem em diferentes locais. Eles se deslocam para eventos e até mesmo residências, por exemplo.

A rede tem como objetivo facilitar o acesso das pessoas às marcas renomadas, o chamado luxo acessível.