Empreendedorismo social: Fa.vela ajuda a acelerar negócios na periferia

0
89

Boa parte da população das periferias do Brasil “se vira” como pode para se sustentar, entre elas há muitos empreendedores- cheios de vontade e boas ideias- que investem nos bairros e favelas da periferia. Projetos voltados para o empreendedorismo social ajudam essas pessoas com orientação e aceleração de negócios.

Um exemplo é o Fundo de Aceleração Vela, mais conhecido como FA.vela, que foi criado em 2014 para atender Morro do Papagaio, o Belo Horizonte. Com cursos gratuitos, a iniciativa é a primeira aceleradora de empreendimentos de base favelada do Brasil. 

Neste artigo você o Mundo Empresa reuniu informações sobre o projeto – disponíveis em seu próprio site – para explicar o que é o FA.vela. Confira!

O que é o FA.vela?

O projeto é uma organização da sociedade civil (OSC) sem fins lucrativos de direito privado, e oferece ao público cursos gratuitos e/ou subsidiado. O FA.vela trabalha a educação empreendedora inovadora, tecnológica e inclusiva. 

Quando surgiu e quem criou o FA.vela?

O FA.VELA foi criado em 2014 no Morro do Papagaio, Belo Horizonte. Foi uma iniciativa de jovens com trajetórias de vida marcadas por experiências pessoais e profissionais na periferia e no empreendedorismo social, que tiveram acesso à educação formal superior, e lutam para compartilhar seus conhecimentos.

Números do projeto

No site do FA.vela existe um “Impactômetro”, que é a maneira como é mostrado os números das iniciativas realizadas pelo projeto. Atualmente, os dados são esses: 

1,800 jovens, adultos e idosos impactados diretamente (66% são mulheres; 71% são negros)

+500 empreendedores acelerados

+20 programas de letramento empreendedor e pré-aceleração de negócios e projetos realizados

+25 municípios conectados em Minas Gerais, Espírito Santo e Pará

+260 projetos e negócios impulsionados

+200 profissionais gerenciados em ações de voluntariado corporativo que mobilizam empresas, universidades, governo e organizações sociais.

Como funciona?

O projeto busca promover a diversidade e o desenvolvimento socioeconômico por meio da educação empreendedora inovadora, tecnológica e inclusiva, para o empoderamento de grupos e territórios periféricos e em situação de vulnerabilidade. Oferece consultorias, aulões, oficinas e ciclos de formação para que moradores de periferias modelem empreendimentos sustentáveis e assumam a liderança na transformação local.

Projetos do FA.vela

Corre criativo (economia criativa): projeto que orienta os jovens makers, labers e hackers da periferia a como montar um pequeno negócio e mantê-lo. São passadas dicas de negócios lucrativos, por meio da transformação das suas ideias em projetos reais. O programa busca fazer a conexão das juventudes das periferias com o universo tecnológico, disponibilizando o acesso às informações e estimulando o empreendedorismo criativo. O Corre Criativo é voltado para o público entre 18 e 29 anos e atende de forma gratuita.

Pipa voando alto (longevidade): O programa de aceleração oferece aulas em grupos sobre gestão de negócios e marcas, mentorias individuais com especialistas e conexões com o mercado. O objetivo é estimular o desenvolvimento de pequenos negócios rentáveis dentro das favelas e aglomerados, trabalhando com os empreendedores não só o aumento de suas rendas, mas também a otimização de suas redes. O PIPA Voando Alto! é voltado para o público maior de 29 anos e é gratuito.

Resiliente (impacto socioambiental): O projeto estimula a modelagem de negócios de impacto socioambiental positivo. A finalidade do FA.vela Resiliente é qualificar os empreendedores de periferias para o uso de resíduos como matéria-prima, incentivando, assim, o desenvolvimento de produtos e serviços que contribuam para a resiliência urbana e a sustentabilidade. O FA.vela  Resiliente é voltado para o público maior de 18 anos e é gratuito.

Fala FA.vela  (diversidade): trata-se de um evento realizado para a democratização de conhecimentos e vivências inspiradoras. O Fala FA.vela , elaborado para criar redes, num ambiente descontraído e informal, funciona como uma troca de experiências para os empreendedores em processo de capacitação, voluntários da organização e convidados, que irão conhecer histórias de vida e de sucesso de empreendedores de comunidades e aglomerados, que transformaram o desafio da exclusão social em oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional.

FA.vela Escola (educação continuada): O FA.vela Escola é um programa de reciclagem e contínua capacitação dos jovens e adultos que participaram das formações empreendedoras, atendendo assim públicos de diversas faixas etárias, graus de inclusão tecnológica, digital, econômica e risco social. O objetivo é potencializar o crescimento e fortalecer os impactos positivos locais e regionais gerados por empreendimentos idealizados por nossos acelerados e a nossa rede de apoiadores e parceiros.

Morrobótica (tecnologia): O Morrobótica se propõe introduzir jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica, residentes das favelas e regiões periféricas de Belo Horizonte, ao universo da robótica. O projeto surge, não apenas para democratizar o acesso aos conhecimentos e aos maquinários da robótica, de difícil alcance devido aos altos custos e ao frequente elitismo do setor, como também para ampliar as possibilidades destes jovens acompanharem as viradas tecnológicas da educação, da economia e da cultura.

.

Quais os maiores desafios enfrentados?

Um dos maiores desafios é conseguir recursos para manter os projetos e até mesmo expandir. E por isso, está à disposição para receber ajuda e doações. Para ajudar o FA.vela a ir cada vez mais longe e atingir mais pessoas em vulnerabilidade social, é possível fazer doações diretamente pelo site oficial da organização: https://favela.org.br/.