Os impactos do novo coronavírus, responsável pela covid-19, já são sentidos em todo o mundo. Fronteiras fechadas, cancelamentos de voos, empresas proibidas de atender ao público, funcionários aprendendo a conviver com o trabalho home office. Esses são alguns exemplos da mudança de rotina gerada pelo avanço da pandemia.

Em especial, a situação de estabelecimentos que trabalham com a venda de alimentos e bebidas – sejam restaurantes, bares ou lanchonetes – fica muito delicada por conta do novo coronavírus.

Entenda, esses negócios são diretamente afetados, pois precisam do público. Como as aglomerações de pessoas devem ser evitadas, o público deixa de frequentar os restaurantes e precisa ser estimulado ao delivery – que apresenta uma grande concorrência na maioria dos casos. 

Em resumo, a queda na procura de clientes e o medo de contrair a covid-19 fazem o faturamento de restaurantes e bares despencarem.

.

Sem vendas, o reflexo imediato é a dificuldade de pagar empregados e arcar com custos como aluguel e fornecedores, por exemplo.

Sendo assim, como fazer o seu restaurante sobreviver ao coronavírus?

Boas práticas na manipulação de alimentos

Uma das medidas fundamentais para qualquer tipo de estabelecimento – ou profissional, seja autônomo informal ou MEI – é empregar as orientações de boas práticas na manipulação de alimentos. 

Tal qual o emprego de ficha técnica para preparo de pratos e preços, esse tipo de conhecimento é básico para quem deseja trabalhar na cozinha.

A manipulação correta na produção de alimentos e bebidas é a segurança de se evitar o contágio de vários tipos de doenças. Ter um manual de boas práticas próprio ( e seguir suas normas) é necessário, independente da pandemia atual. 

O Sebrae disponibiliza uma cartilha com orientações para empregar boas práticas em seu restaurante. Confira no link

Restaurantes e coronavírus – dicas

  • Avalie as  atuais despesas e faça cortes preventivos
  • Economize 
  • Invista em prevenção e deixe isso claro ao seu cliente (máscaras, álcool, luvas, higiene)
  • Mostre aos clientes que está buscando esses meios para enfrentar a pandemia de covid-19
  • Use e abuse das redes sociais e meios digitais para divulgação 
  • Faça ações que intensifiquem as entregas (exemplo: promoções para quem repetir pedidos) 
  • Estimule os clientes a levarem produtos para casa, passando menos tempo no local. 
  • Cumpra as medidas estabelecidas pelo poder público e justiça (Exemplo: aumentar distância entre mesas, incluir mais álcool gel para clientes, etc)
  • No caso de self-service, coloque funcionários para servir os clientes, evitando assim que várias pessoas peguem no mesmo talher 
  • Pesquise as ações de bancos e do governo para amenizar impactos de dívidas e financiamentos

Delivery e covid-19

Caso seu restaurante não utilize o serviços de entrega, é um momento para repensar.

O uso de aplicativos de entrega (como Uber Eats, Ifood, BeeDelivery e Rappi) é fácil de conseguir. Entretanto, é preciso avaliar os custos (descontos) embutidos e precificar corretamente os produtos. Nesses casos, a venda de salão e de entrega podem ter preços diferentes. 

Em resumo, mesmo que a cidade onde atue não tenha grandes impactos no comércio, adote planejamento e estratégias para minimizar os riscos de perder dinheiro – e falir – por conta da pandemia causada pelo coronavírus no Brasil e mundo. Toda cautela é necessária neste momento.

Posicionamento da Abrasel 

No domingo (15), a Abrasel divulgou um vídeo com o posicionamento da Associação sobre o impacto econômico da propagação do coronavírus no setor de alimentação fora do lar e orientações para que bares e restaurantes.

Para o presidente-executivo da entidade, Paulo Solmucci, o desafio é garantir que clientes de bares e restaurantes possam conviver em um ambiente de segurança.

E-book grátis 

Uma publicação da Abrasel reúne orientações úteis para restaurantes e bares. Confira no link.