Novo coronavírus: Impactos e riscos para empresas e negócios no Brasil

Além do impacto na própria China, o avanço do coronavírus pode afetar a economia, empresas, importações e exportações em países de todos os continentes.

0
448
Marcus Miranda, o diretor- presidente substituto, Antonio Barra e a coordenadora de infraestrutura e meio de transporte da gerência geral de portos, aeroportos e fronteiras da Anvisa, Viviane Vilella (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

De origem ainda não comprovada, o novo coronavírus se alastra e infecta pessoas em diversas partes do mundo. Por conta disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) o classificou com risco global ‘elevado’, na segunda-feira (27).  Já no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforçou a atenção em portos e aeroportos.

Além de despertar um alerta na área de saúde pública, o surto já gera impactos econômicos e também preocupa empresas.

Primeiramente, é válido expor um panorama resumido sobre o coronavírus antes de abordar sobre os seus impactos no âmbito da economia. 

Coronavírus, casos e mortes

Atualmente, já há mais de 100 mortes confirmadas por conta do vírus, na China. 

Além disso, autoridades de saúde da China divulgaram que a quantidade de pessoas diagnosticadas com doença respiratória causada pelo coronavírus supera 2,7 mil naquele país.

Até 27 de janeiro, também há registros confirmados nos EUA, Austrália, Tailândia, Macau, Singapura, Taiwan, Japão, Sri Lanka, Malásia, Coreia do Sul, França, Vietnã, Camboja, Canadá, Alemanha, Costa do Marfim e Nepal.

Por conta do vírus que surgiu em Wuhan, na China, ocorreu o fechamento de cidades, além de impactos em voos e restrição no trânsito de pessoas. 

Impactos econômicos 

Sobre âmbito econômico em torno do coronavírus, é válido ressaltar que, além do impacto na economia da própria China, o avanço de doença causada por ele deve afetar países de todos os continentes. 

Tendo em vista a parceria comercial existente entre Brasil e China, o coronavírus pode se tornar um problema econômico sério para brasileiros. A produção industrial, exportações e importações podem sofrer.

Importações e exportações

Dados divulgados em novembro de 2019 apontam que a China é o principal destino das exportações brasileiras, segundo o Indicador de Comércio Exterior (Icomex), com 27,8% dos produtos exportados pelo Brasil. 

Ainda de acordo com o levantamento, a participação da China no comércio exterior brasileiro supera a do bloco da União Europeia, que soma 16,3%.  

Brasil 

Além das exportações e importações, economistas apontam que o câmbio e bolsa de valores devem ser diretamente afetados a curto prazo, no Brasil. Mas, ainda é cedo para prever os impactos no futuro, isso depende do possível avanço da doença pelo mundo. 

Independente disso, especialistas também apontam que o risco do avanço do novo coronavírus pode afetar a distribuição de mercadorias e insumos. Se isso chegar a ocorrer, economias de vários países podem ser fortemente impactadas. 

Finanças

A recomendação de especialistas é de cautela na compra e venda de ações. 

No início desta semana,  Ibovespa amargou um recuo de 3,34% e fechou abaixo dos 115 mil pontos. O resultado marcou o pior resultado do Ibovespa desde março de 2019, quando registrou queda de 3,57. Ainda assim, a sessão que abriu a semana somou um volume de R$ 21,5 bilhões.

Vigilância em aeroportos 

Na segunda-feira (27), o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, divulgou que a agência reforçou a atenção em portos e aeroportos, em especial nos que recebem passageiros procedentes da China.

Ainda assim, a agência informou também que ainda não deve mudar procedimentos já adotados para outras doenças.

Ações em multinacionais

Segundo informações do site Bloomberg, empresas de atuação global já estão retirando funcionários de unidades localizadas em áreas da China. 

.

O site aponta ainda que a maior operadora de parques temáticos do mundo disse que fecharia sua unidade em Xangai por conta do surto de coronavírus.

O que é o coronavírus

O novo coronavírus foi diagnosticado em 2019. Ele recebe o nome oficial de 2019-nCoV, mas também é conhecido como coronavírus de Wuhan, ou pneumonia de Wuhan. 

A origem e a cura da doença gerada pelo coronavírus ainda não foram encontradas. Também não há vacinas em uso.

O novo coronavírus é parecido com outros dois já identificados há alguns anos. Em um dos casos, ele já foi responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Grave e gerou a morte de mais de 700 pessoas no início da década dos anos 2000.

Quais sintomas do coronavírus? 

A presença do vírus causa infecção respiratória e gera sintomas de doenças respiratórias.

Entre os sintomas de pessoas infectadas estão:  febre, tosse e dificuldade de respirar.