Cinco tecnologias que devem emergir com o coronavírus

0
54
Tecnologias continuam emergindo para auxiliar a humanidade em momentos difíceis, como o que é enfrentado com o coronavírus

O papel que a tecnologia vem desempenhando diante da crise do novo coronavírus é inegável. Mesmo à distância, estamos mais conectados do que nunca, e as possibilidades de resolução de problemas por meio de computadores, celulares e aplicativos se ampliam a cada dia.

No início do ano, diversos especialistas faziam apostas para os próximos meses, baseando-se em padrões de desenvolvimento mundiais que começavam a ser adotados. Desde então, assistimos à consolidação do varejo pelo e-commerce e também o uso de ferramentas de videoconferência como o Zoom, por exemplo.

Tecnologia ajuda

São meios desenvolvidos para manter um mínimo de normalidade diante as novas regras de distanciamento social. Com elas, você continua a realizar reuniões, ter aulas, e fazer compras de itens necessários.

Isso em todas as áreas: da medicina ao dia a dia de startups, dos pesquisadores às estratégias de políticas públicas. Sem tecnologia, estaríamos vivendo um caos ainda maior.

Como aconteceu com a pandemia de cólera, na Inglaterra, no século 19, as empresas começaram a assumir muito mais rápido a revolução industrial – ou seja, substituir homens por máquinas a vapor -, isso deve acontecer bastante agora no mundo. Robotização das linhas de produção, cada vez com menos pessoas. A pandemia nos ensinou que as aglomerações são perigosas, portanto o modelo de produção das fábricas vai ter de ser repensado.

Com base no cenário atual, pode-se destacar cinco tecnologias que tem tudo para emergir com a crise do coronavírus.

Impressão 3D

Principalmente por possibilitar a produção de equipamentos médicos, como máscaras de oxigênio e protetores faciais, essa tecnologia tem sido a principal aposta para o futuro. Muitas empresas vêm fazendo doações para startups que produzem esses materiais a um custo menor, por já terem uma impressora 3D.

Big Data

A análise de dados já era uma tendência mundial. Agora, com a pandemia, muitas empresas em crise terão de reduzir seu quadro de funcionários, mas a demanda por produtos e serviços continuará a aumentar. Portanto, será necessário automatizar boa parte da operação.

Cloud Computing

Tudo que puder diminuir os custos da operação deverá ser uma aposta das empresas. Com a computação em nuvem, pode-se baratear a operação de TI, cortando gastos com equipe e manutenção de servidores, por exemplo.

Blockchain

O monitoramento da população, visando evitar aglomerações, é extremamente importante para combater o coronavírus. Em países ocidentais, essa vigilância esbarra no direito à privacidade. Porém, uma startup em São Paulo desenvolveu uma plataforma que utiliza blockchain para preservar a identidade dos usuários, impedindo que a outra ponta, seja o governo ou outros cidadãos, tenha acesso aos seus dados. Isso traz nova possibilidades para a utilização de blockchain no futuro, para além da finalidade de proteção econômica.

Power BI

Enquanto o Big Data é fundamental para a coleta e armazenamento de dados, transformar esse material em informações e estatísticas, com agilidade e rapidez, é ainda mais importante. Esse serviço de análise de negócios, desenvolvido pela Microsoft, é capaz de ler uma quantidade imensa de dados e compilá-los em gráficos e relatórios.

Legado para o futuro

O que se vive hoje com a pandemia vai deixar um grande impacto nas nossas gerações, que será ainda maior conforme o tempo de isolamento. Aprenderemos a desenvolver novos hábitos, formas de consumir e trabalhar. Para muitas empresas e colaboradores, não vai mais fazer sentido encarar trânsito e estresse a caminho do escritório – por que não adotar de vez o home office?

Analisando somente este ponto, teremos estradas por todo o país utilizadas apenas para transporte de suprimentos, por exemplo. Possivelmente, após a quarentena, haverá um efeito pêndulo, em que as pessoas vão tentar resgatar tudo como era antes, mas verão que já é impossível.